A febre amarela como risco ocupacional

Antes de entrarmos no assunto Febre Amarela, precisamos entender as relações do ser humano com o meio ambiente e os diversos ecossistemas brasileiros. Somos um País tropical de grandes diversidades climáticas e geográficas. Nesse meio ambiente convivem animais, homens, insetos e microrganismos. Consequentemente, os vírus da dengue, zika, chikungunya e febre amarela. Precisamos de cautela se pretendemos conter a expansão que vem ocorrendo no caso da febre amarela. A fim de entender um pouco mais sobre este tema que vem preocupando médicos, vigilantes de saúde, trabalhadores e a população em geral, conversamos com o Dr. Marcelo Pustiglione, médico especialista em Medicina do Trabalho que está elaborando, na Divisão de Vigilância Sanitária do Trabalho da Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, um Protocolo Clínico voltado para a segurança e saúde do trabalhador rural. Veja materia completa aquí